Como fica a conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico?

Como fica a conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico?
8 vantagens da energia fotovoltaica para supermercados
22 de abril de 2020
Como fica a conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico?
Investimento em energia solar durante a quarentena: porque é um bom negócio
8 de maio de 2020
Exibir tudo

Como fica a conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico?

Como fica a conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico?

Como fica a conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico?

Ao fazer a instalação do sistema fotovoltaico, surgem grandes expectativas em relação às alterações na conta de luz. Muitos acreditam que os gastos com eletricidade podem ser zerados com a energia solar fotovoltaica, mas não é bem assim que funciona.

Sabemos que o sistema fotovoltaico pode gerar até 95% de economia da conta de energia, sendo um ótimo investimento para economizar em tempos de crise e a médio prazo. O valor investido, inclusive, se paga dentro de dois a sete anos!

Essa economia ocorre porque os painéis fotovoltaicos captam a luz solar e a transformam em energia elétrica para sua residência ou estabelecimento comercial. Dessa forma, você substitui a fonte de consumo de energia, ao invés das hidrelétricas e termelétricas, passa a usar como fonte a energia solar.

Porém, uma redução total da conta de luz é impossível. Pois ainda existem taxas obrigatórias que continuam a ser cobradas pelas companhias de distribuição de energia. Para saber mais sobre o funcionamento do sistema fotovoltaico e da conta de luz após a instalação do sistema fotovoltaico é só continuar a leitura!

Como funciona um sistema fotovoltaico

A tecnologia de energia solar fotovoltaica é capaz de transformar a radiação do sol em energia elétrica com a finalidade de abastecer casas e empresas. E por usar a luz solar como fonte inesgotável de energia, os sistemas fotovoltaicos são considerados uma forma sustentável e limpa de geração de eletricidade.

Esse sistema é composto por painéis solares, cabos e inversores, instalados estrategicamente no telhado ou no solo de residências ou empresas para captarem a luz do sol. Eles são compostos por células fotovoltaicas capazes de transformar a radiação solar diretamente em energia elétrica. Esse processo é chamado de “efeito fotovoltaico”.

Vale lembrar que a energia elétrica gerada pelo sistema é consumida na hora. E caso exista um excedente de produção, ou seja, se é gerada mais energia do que é consumida, ela é injetada nas redes de distribuição locais.

Quando fornecemos energia fotovoltaica para as redes de distribuição, elas fornecem créditos do Sistema de Compensação Energética. Continue a leitura e saiba mais!

Conheça o Sistema de Compensação de Energia Elétrica

O Sistema de Compensação de Energia Elétrica foi definido pela Resolução Normativa ANEEL n. 482, em 11 de dezembro de 2012. Ela determina que pessoas físicas ou jurídicas que geram sua própria energia elétrica, como é o caso de quem investe em um sistema fotovoltaico, podem doar gratuitamente o excesso de energia para a rede elétrica local.

Como recompensa por essa doação, o proprietário do sistema próprio de geração de energia recebe créditos de energia válidos por até 60 meses, ou seja, cinco anos. Esses créditos podem ser utilizados para compensar valores nas contas de energia do estabelecimento onde o sistema está instalado ou outros locais com o mesmo CPF ou CNPJ.

Como fica a conta de luz com a instalação do sistema fotovoltaico

Como adiantamos no início do texto, não é possível zerar a conta de luz. Mesmo com um excelente rendimento do sistema fotovoltaico, ainda há taxas que são cobradas pelas concessionárias de energia.

Apesar de a energia fotovoltaica não funcionar durante a noite, e neste período, a eletricidade da rede local ser utilizada, os sistemas fotovoltaicos produzem energia durante o dia para suprir todo o consumo, sendo que toda energia gerada que não é consumida no momento da geração é enviada à rede elétrica e é apresentada na fatura de energia como: “energia injetada”.

No primeiro mês após a instalação do sistema fotovoltaico, por exemplo, já é possível identificar uma redução de até 89% dos custos na conta de luz.

É importante ter em mente todo o sistema de geração distribuída, é regulamentado pela Agência Nacional de Engenharia Elétrica, a ANEEL. Ela que estabelece as diretrizes para que o cálculo da sua conta de energia seja feito sob o Sistema de Compensação de Energia.

Além disso, algumas taxas ainda são cobradas e novas informações estarão impressas na fatura de sua conta. Saiba mais:

Explicando a taxa mínima

“Por que eu pago uma taxa mínima se não utilizo mais os serviços da companhia elétrica?”, você pode estar se perguntando. Para responder este questionamento, é importante entender o que essa taxa compreende.

A taxa mínima diz respeito ao custo de disponibilidade e à taxa de iluminação pública, que você continua a utilizar mesmo com o sistema fotovoltaico em seu estabelecimento.

Essa tarifa é aplicada todas as vezes em que a geração de energia pelo sistema fotovoltaico for superior ao consumo mensal. A geração excedente ficará como um crédito em que o consumidor terá 5 anos para abater e será cobrada a taxa mínima na fatura de energia. 

O custo de disponibilidade é cobrado de consumidores em baixa tensão. A taxa de iluminação pública, por sua vez, é cobrada pela prefeitura da sua cidade.

Energia injetada

Uma informação que aparece na sua conta de luz após a instalação da energia fotovoltaica são os dados sobre a energia injetada.

Eles informam a quantidade de energia injetada pelo sistema fotovoltaico na rede elétrica da concessionária. E mostra também qual o valor vai ser descontado no cálculo dos créditos de energia.

Como funciona o cálculo da cobrança

Já vimos que quando você produz mais energia do que consome através da energia solar fotovoltaica, você ganha créditos que podem ser descontados em até 5 anos.

Por outro lado, quando você consome mais do que produz, você pode utilizar esses créditos para conseguir compensação do valor.

Nestes casos, a distribuidora considera o valor de crédito em kWh que o consumidor possui.

Os impostos na conta de luz

Você sabia que quem instala um sistema fotovoltaico também recebe desconto de impostos?

No Brasil, todos os estados – com exceção do Amazonas, Paraná e Santa Catarina – possuem descontos de ICMS e PIS/COFINS para quem possui um sistema de Geração Distribuída em sua propriedade.

Cada estado possui uma taxa diferente de ICM e este imposto incide sobre toda a energia consumida.

Como vimos, o uso de um sistema fotovoltaico gera uma grande redução de custos na conta de luz, além de possuir outras vantagens como:

  • Isenção de impostos;
  • Possibilidades de créditos de energia;
  • Maior sustentabilidade para seu negócio;
  • Entre outros.

Investir nesse tipo de tecnologia para gerar sua própria energia garante uma economia importante para o seu negócio, especialmente em tempos de crise.

Quer saber mais sobre essa possibilidade? Simule agora seu investimento em um sistema fotovoltaico!