Onde posso instalar os painéis fotovoltaicos?

Onde posso instalar os painéis fotovoltaicos?
12 soluções para reduzir a conta de energia da sua empresa
1 de abril de 2020
Onde posso instalar os painéis fotovoltaicos?
8 vantagens da energia fotovoltaica para supermercados
22 de abril de 2020
Exibir tudo

Onde posso instalar os painéis fotovoltaicos?

Onde posso instalar os painéis fotovoltaicos?

Muitas vezes, pretendemos expandir e modernizar o nosso negócio, mas as condições não são favoráveis. Esse problema é enfrentado por muitos empreendedores ao instalar os painéis fotovoltaicos em seu negócio. Os maiores empecilhos costumam ser falta de espaço no telhado, local do comércio ser alugado e muitos outros obstáculos. 

Para isso, a Aneel propôs, há algum tempo, soluções para que todos possam ter acesso à energia solar fotovoltaica. Seja por meio de autoconsumo remoto ou geração compartilhada, todos em nosso país podem acessar essa energia. Confira mais detalhes no texto a seguir!

Pouco espaço no telhado do comércio

Muitas pessoas desistem de gerar a sua própria energia solar fotovoltaica por falta de espaço no telhado em seu local de trabalho. No entanto, é possível instalar em outro imóvel, desde que a conta de energia dos dois locais estejam em seu nome. Mais adiante, falaremos dos requisitos básicos para ter a compensação de energia elétrica.

Outra solução é aproveitar as áreas externas do local, como jardim e quintal. Em alguns casos, até mesmo as fachadas podem ser utilizadas para esse fim. Se o proprietário tiver um sítio ou fazenda, pode instalar nesse local e aproveitar os créditos gerados nos dois imóveis.

Possibilidade de instalar os painéis fotovoltaicos em outro imóvel

Como já dissemos, se o seu imóvel é pequeno, mas você possui outro, você pode instalar os painéis fotovoltaicos em um deles e aproveitar os créditos da economia de energia nos dois. Veja abaixo como conseguir essa compensação de energia:

– Requisitos para conseguir os benefícios

A princípio, os dois imóveis devem estar com a conta de energia em um mesmo CNPJ ou CPF. O imóvel não necessariamente deverá ser seu, mas você precisará comprovar o vínculo, através por exemplo, de um contrato de aluguel. Além disso, precisam estar localizados em uma mesma região, seja estado ou cidade, e estarem sob a mesma concessionária de distribuição de energia elétrica. Isso feito, é só instalar e aproveitar os créditos gerados pelas placas solares e convertidos em energia elétrica pela distribuidora.


– Instalar painéis fotovoltaicos: como funciona

A princípio, você faz a solicitação de acesso, por meio de um formulário próprio, junto à sua distribuidora. Isso feito, você aguarda a resposta da distribuidora, que pode demorar de 15 dias para microgeração de energia a até 30 dias, para minigeração. Caso seja aprovado, você continua o processo de instalação, seguindo o projeto da empresa especializada enviado à distribuidora. A instalação deve ser feita em até 120 dias da emissão do parecer, então você chama a distribuidora para fazer uma vistoria.

No prazo máximo de 7 dias, a distribuidora vai enviar à sua casa ou local de instalação da energia solar fotovoltaica um profissional para realizar a vistoria da sua propriedade. Após a visita, a distribuidora de energia da sua região tem mais 5 dias para emitir um relatório caso sejam detectadas pendências e problemas na instalação. Assim que tudo for regularizado, solicite uma nova vistoria à sua distribuidora. Estando tudo certo, a distribuidora tem o prazo de 7 dias para iniciar o sistema, trocar a medição e aprovar o ponto. Aí, é só aproveitar!

Microgeração de energia é uma produção de até 75kW, em que a distribuidora tem o prazo máximo de liberação até 34 dias sem obras. A minigeração distribuída é de 75kW a 5MW, cujo prazo chega a 49 dias em perfeitas condições.

Funcionamento do sistema de créditos da energia fotovoltaica

A RN 482/12 da ANEEL estabeleceu as regras da utilização da energia solar fotovoltaica. Segunda ela, o sistema de compensação de energia elétrica permite que você troque a energia solar produzida pelas placas solares pelos créditos ou energia elétrica com a distribuidora da sua região. Essa lei, também conhecida como “Lei de Incentivo à Energia Solar” permite que todos usufruam desse “empréstimo”, sendo que nem a distribuidora e nem o usuário sejam prejudicados.

Como a energia é consumida

Instalados os painéis fotovoltaicos, a distribuidora aprova o projeto e instala o novo relógio de luz, pelo qual o interessado deve pagar. Dessa forma, toda energia gerada ou excessiva se transforma em créditos, que podem ser utilizados de acordo com a necessidade do proprietário.

Após isso feito, durante a noite ou em dias nublados, quando a captação de luz solar é menor, os créditos excedentes são utilizados pelos usuários. No entanto, o que muitas pessoas não sabem é que, caso haja apagão de energia elétrica da distribuidora, ela automaticamente também interrompe a energia solar fotovoltaica. Dessa forma, evita acidentes aos usuários e deixa todos em segurança, prevenindo acidentes e choques elétricos.

Diferenças entre autoconsumo remoto e geração compartilhada

O autoconsumo remoto é a geração de energia solar fotovoltaica em uma determinada propriedade, cujo excedente de créditos é consumido por outra unidade, com o mesmo proprietário e na mesma região da distribuidora de energia. Para ter acesso à esse benefício, o CPF ou CNPJ da conta de energia deve ser o mesmo do proprietário dos imóveis.

A geração compartilhada é quando diversas pessoas consomem, por meio de pacotes ou assinaturas, uma grande quantidade de energia solar compartilhada. Nesse caso entram as fazendas solares. Nelas, grandes áreas são cobertas com placas solares e a energia excedente é distribuída por todos que a compram. Dessa forma, diversas pessoas aproveitam a energia solar fotovoltaica em seu comércio, indústria ou residência e todos pagam um valor fixo e menor que a conta de luz normal.

Entre as mais diversas vantagens do autoconsumo remoto estão os créditos que podem ser consumidos nas duas unidades do proprietário ou mais, caso ele tenha. Se todos os créditos não sejam consumidos, eles têm um prazo máximo de 60 dias para ficarem disponíveis, conforme estipulado nas modificações da RN 687, da Aneel, de novembro de 2015, que só começou a valer em março de 2016. Segundo a lei, somente os excedentes podem ser utilizados no imóvel compartilhado, sendo a prioridade a unidade geradora de energia.

O sistema solar de energia fotovoltaica também auxilia nos gastos mensais com as contas de luz e energia. Transformada em custos fixos, pois a tarifa cobrada costuma ser a mínima, necessária para funcionamento da iluminação pública, por exemplo, diminui bastante os custos mensais com as energia elétrica. Não é novidade para ninguém que, com as bandeiras tarifárias cobradas durante os períodos de estiagem em nosso país, os valores podem alterar a cada mês.

Agora que você já sabe onde instalar os painéis fotovoltaicos, como funciona o sistema de créditos, geração compartilhada e autoconsumo remoto, solicite uma simulação conosco agora mesmo!